Le Parkour: uma febre entre os Jovens

1

Posted by Ciro Bezerra | Posted on domingo, 21 de outubro de 2007


Há quatro anos no Brasil, Le Parkour vem conquistando mais e mais jovens por todo o país. De origem Francesa, o esporte foi descoberto na década de 80, por jovens que, vendo os pais em treinamentos militares, colocaram em prática toda aquela série em suas brincadeiras. O que era apenas um exercício para o exército Francês, se tornou uma atividade esportiva na mente de David Belle, filho de um militar. Ele impressionado com tudo aquilo, mostrou ao seu amigo Sebastian Foucan, que adorou a idéia e acabou se tornando um dos mais conceituados praticantes do Le Parkour no mundo. Era um pulando muro aqui, outro escalando ali, e assim foram chamando a atenção dos transeuntes, que por ora ficaram impressionados ou então abominaram aquele esporte. Le Parkour significa “O percurso”, e ele já percorreu quase todo o mundo. É um dos esportes mais conhecidos. Sua chegada ao Brasil deve a Leonard Akira, ou simplesmente Akira. Com 21 anos, desde os 17 Akira vem praticando o Parkour, assim foi apelidado no Brasil. De pequenos obstáculos á pulos sobre carro, foi assim a grande evolução do melhor praticante do país. Hoje, Leonard viaja o país dando palestra, divulgando o esporte que cresce cada vez mais. O interessante, afirma akira, é que se hoje um começa em uma praça perto de casa, amanhã já vão ter outros fazendo e isso é muito bom. O Parkour não é um esporte que trabalha o preparo físico. Ele também busca esforço na mente das pessoas. Ele leva o cara a ter a noção de distância e precisão em tudo que está fazendo. O mentor do Parkour no Brasil afirma existir manobras mirabolantes e perigosas, mas ele recomenda á quem começa: Muito cuidado, sempre. Comece pelo mais simples e vá adaptando sua precisão até chegar aos mais instigantes.A idéia é essa.Eu nunca quebrei um osso, a não ser os rompimentos nos pés.
Pra quem está começando é sempre importante o acompanhamento de quem já pratica há algum tempo.

Em Recife, o esporte já se faz presente entre os jovens. E não se assuste ver alguém pulando um muro de dois metros ou algo parecido, isso não se passa apenas de Le Parkour. O esporte se propagou através de uma turma que faz na UFPE ou em Boa Viagem.Um dos integrantes dessa equipe é Joás Bezerra (Foto), estudante do CEFET, afirma que o Parkour tem como um dos pontos fortes a liberdade “esse é um dos grandes pontos do parkour, a liberdade, tanto do corpo, como da mente, quando você começa a praticar, você passa a olhar a sociedade de outra forma, o meio ambiente, tudo muda.Não que por praticar nós seremos pessoas melhores, mas seremos pessoas que sabem explorar bem, e ter uma certa liberdade no meio da globalização que, cada vez mais, vem tentando fazer com que o ser humano viva rodeado de construções e paredes”.Quando o assunto é obstáculos, Joás se mostra reticente é dá a dica: “Não sei se eu fiz algo de incrível, até porque eu estou parado no momento
mas pretendo voltar logo. Algo de interessante que eu já fiz foi pular de 4m, isso foi bem no início
mas sinceramente, me arrependo.A evolução vem com o tempo, não adianta se afobar.
Sorte minha de não ter acontecido nada comigo.Uma coisa que eu sempre digo pra quem quer começar: não se afobe, vá com calma, a evolução vai vir, não tenta apressar as coisas, comece por baixo.”
Afirmou Joás ao Blog.

Por Afonso Bezerra

Comments (1)

  1. 21 de outubro de 2007 20:55

    Certa Vez, passou no fantástico a reportagem sober o Le Parkour, é muito interessante, porém, para quem já é adepto e praticante há um certo tempo, e acho que deveríam ser usados alguns equipamentos de segurança, não apenas luvas e cotoveleiras, mas deveria ser indispensável o uso do capacete por exemplo, pois independente da altura que se pula, pode se cair de mau jeito, daí o perigo é eminente. Mas que deve ser interessante ver um grupo de pessoas fazendo isso nas ruas, com certeza, é!! Essa moda vai pegar pelas ruas de Recife e vai ser diversão na certa!

    Gostei da postagem. Uma ótima semana!
    Bjin!